Adaptando uma Solução: Sistema de Detecção e Neutralização de Drones

Neste artigo, tentaremos elaborar o modo como uma solução adequada é adaptada às necessidades do usuário.

Um sistema completo de Detecção e Neutralização de Drones não é um produto que se pode comprar em um supermercado. Muitos clientes chegam a nós com a pergunta comum de "quanto custa seu sistema Anti-Drone?" e mesmo querendo oferecer uma resposta imediata, geralmente é impossível.
Existem alguns parâmetros que precisamos avaliar antes de poder responder a esta importante questão. Vamos examinar alguns dos principais parâmetros que podem ter um efeito drástico sobre o tamanho e o preço do sistema Anti-Drone:
 
1. A natureza da aplicação:
Uma das questões mais importantes e primárias que temos de responder é a natureza da aplicação. Existem várias opções aqui:
 
a) Uma proteção 24/7 Anti-Drone para uma determinada instalação/infraestrutura: provavelmente exigirá uma instalação fixa do sistema Anti-Drone. Para este tipo de aplicação, o tamanho do sistema, bem como o seu peso, consumo de energia e outros parâmetros relevantes, geralmente possuem menor importância;
b) Uma proteção Anti-Drone temporária para um determinado evento/missão (que pode durar de várias horas, até vários dias): provavelmente exigirá uma configuração do sistema Anti-Drone portátil/móvel, permitindo que o usuário/operador implante/dobre rapidamente o sistema, para atender a uma série de eventos que podem ocorrer em diferentes lugares com curtos intervalos de tempo entre eles. Para este tipo de aplicação, o tamanho do sistema, bem como o seu peso, consumo de energia e outros parâmetros relevantes, podem ser cruciais para o sucesso da operação;
c) Uma proteção Anti-Drone em condições ambientais severas, seja proporcionando uma proteção temporária ou uma proteção 24/7: é importante compreender as condições ambientais em que o sistema funcionaria. Em condições ambientais difíceis (por exemplo: chuva, neve, areia, poeira, entre outros), pode ser mais inteligente considerar uma versão robusta (ou versão "militar"), enquanto que para a operação em um ambiente mais "confortável" (ou mesmo ambiente controlado), uma solução menos robusta pode ser considerada (versão "civil/comercial"), reduzindo significativamente os custos.
 
2. Número de canais de "ataque":
Outra questão importante que temos de responder é sobre os canais do Jammer, pois mais canais utilizados = maiores custos. 
 
Existem várias opções:
 
a) Apenas canais WIFI (2,4 GHz e 5,8 GHz): uma vez que a maioria dos Drones comerciais utilizam-se de estas duas bandas de frequência WIFI, acreditamos que elas representam a configuração mínima que cada Jammer Anti-Drones deve conter;
b) Adicionando canais ISM: se houver necessidade de criar uma proteção contra Drones menos comuns;
c) Adicionando um canal de GPS: mais e mais modelos de Drones podem ser guiados usando way points de GPS pré-programados, ao invés de um controle remoto. Bloquear os canais/bandas de GPS é uma tarefa fácil, no entanto, ele precisa ser cuidadosamente examinado antes de ser usado, porque o GPS é um recurso importante para muitos usuários e aplicativos que não sejam Drones;
d) Outras bandas de frequência: existem mais bandas de frequência opcionais, que são muito menos utilizadas pelos Drones, mas ainda representam uma ameaça séria.
 
Ao tentar responder a questão dos canais de bloqueio, é importante levar em consideração os seguintes pontos:
 
• Existem bandas de frequência, em que o bloqueio é proibido (de acordo com a lei local)?
• O cliente tem permissão para transmitir/bloquear as bandas de frequência necessárias e na área específica que precisa ser protegida? Caso contrário, como obter uma permissão/certificação?
Consulte o artigo de "Uso de interferidores de Drones em aeródromos" para saber mais sobre esse importante assunto.
 
3. Potência de saída por canal:
Outra questão importante que temos de responder é a potência de saída de Jammer por canal. Este parâmetro definirá o alcance da interferência ou "Ratio of Distances" (como foi explicado detalhadamente no artigo “Qual é o alcance efetivo do seu bloqueador de Drones?”).
Claro, quanto maior a potência de saída , maior será o alcance; mas também maiores serão os custos, bem como a chance de interferir com outros usuários da mesma faixa de frequência. Existem várias opções aqui:
 
a) <1W por canal;
b) 10W por canal;
c) Até 50/100W por canal.
 
4. Padrão de cobertura:
Outra questão importante que temos de responder é a respeito do ângulo de cobertura de bloqueio. Existem duas opções aqui:
 
a) Cobertura Omni-Direcional (360°);
b) Cobertura sectorial/direccional (por exemplo: 30°/60°/90°/180°).
 
Usando esta informação, podemos selecionar entre um conjunto de antena omnidirecional (cobertura = 360°) e um conjunto direcional (por exemplo: 30°/60°/90°/180°).
 
5. Sensores de detecção:
Os sensores de detecção selecionados terão um grande impacto no preço da solução integrada. Existem quatro tipos de sensores que estão sendo usados atualmente: Radar, Câmera, Sensor Acústico e Receptor de RF (todas as tecnologias de sensores foram explicadas detalhadamente no artigo "Clearing the fog around the evolving Anti-Drone market - Part 2" ). 
 
Existem várias opções aqui:
 
a) Usando apenas um receptor de RF;
b) Usando um receptor RF + um conjunto de câmeras;
c) Adicionando um conjunto de sensores acústicos;
d) Adicionando um Radar.
 
Claro que quanto mais sensores utilizarmos, maiores serão os custos. A questão que precisa ser feita é: por que precisamos considerar o uso de mais do que um único sensor?
A resposta é que não há sensor "perfeito" ou "melhor", pelo menos não nesta lista específica de sensores. Cada tecnologia tem suas vantagens e desvantagens, e cada uma tem vulnerabilidades. Devido a estas vantagens, desvantagens e vulnerabilidades de cada tecnologia/sensor, é altamente recomendável combinar pelo menos duas tecnologias/sensores diferentes. Quanto mais tipos utilizados, melhor será o desempenho. Isso tornará o sistema de detecção muito menos vulnerável e mais redundante, alcançando uma maior probabilidade de detecção, e uma taxa menor de “alarmes falsos”.
 
Para concluir este ponto, será necessário um compromisso entre Preço X Desempenho.
 
6. Infraestrutura:
A última questão que temos de responder é a infraestrutura em que o sistema seria operado. Embora todos os pontos anteriores tenham como objetivo ajudar-nos com a definição do sistema correto a ser usado, esta parte nos ajudará com a estimativa do número de sistemas que seriam utilizados, bem como com os custos do projeto de instalação. Exemplos:
 
a) Dimensões e zonas críticas da área protegida: conhecendo as dimensões da área protegida, bem como as suas zonas críticas (zonas que precisam ser bloqueadas e zonas que precisam ficar desbloqueadas), o número dos sistemas Anti-Drone necessários pode ser facilmente calculado;
b) Comando e Controle (C&C): existe a necessidade de ter uma sala e software de Comando & Controle (C&C) ou o sistema funcionará de forma autônoma? Construir uma sala de comando e controle (C&C) exigirá certo esforço que precisa ser calculado;
c) Fonte de alimentação e Ethernet (LAN): é necessário conhecer as características da rede CA (tensão, frequência, etc), disponibilidade e localização das tomadas CA na área, bem como a disponibilidade e localização da rede Ethernet (LAN), etc.
 
Para concluir este ponto, geralmente a definição precisa e a cotação da infraestrutura requer a realização de um levantamento do sitio (Site Survey).
 
Conclusão:
 
Antes de fornecer ao usuário uma cotação do preço do sistema Anti-Drone, é importante considerar alguns parâmetros, o que definitivamente afetará a seleção da configuração apropriada do sistema e, portanto, afetará drasticamente no preço final do sistema oferecido.
Além da definição (e da cotação) do sistema Anti-Drone necessário, é importante lembrar que, pelo menos para o caso de proteção 24/7 (geralmente uma instalação fixa), o esforço do projeto de infraestrutura/instalação também deve ser considerado.

Para outras informações fale conosco